quarta-feira, 8 de março de 2017

Sedentarismo

Conceito e Definições


O sedentarismo é caracterizado pela falta de atividade física no ser humano, não somente no caráter da prática desportiva, mas em toda sua amplitude, fazendo com que a saúde da pessoa entre em declínio e esteja mais suscetível ao surgimento de patologias. Devido ao grande comprometimento que a mesma pode ocasionar, considera-se atualmente como um problema de saúde pública e por muitos profissionais da saúde, também é considerada como o mal do século.


Existem várias definições e conceitos sobre sedentarismo, desde o abandono cultural e histórico da vida nômade, passando pela inatividade ocupacional e o último e mais bem aceito é além da adesão da vida permanente e moderna. O sedentarismo é definido como a falta ou a grande diminuição da atividade física. Na realidade, o conceito não é associado necessariamente à falta de uma atividade esportiva. Do ponto de vista da Medicina Moderna, o sedentário é o indivíduo que gasta poucas calorias por semana com atividades ocupacionais. Segundo um trabalho realizado com ex-alunos da Universidade de Harvard, o gasto calórico semanal define se o indivíduo é sedentário ou ativo.


Consequências Imediatas

A vida sedentária provoca literalmente o desuso dos sistemas funcionais. O aparelho locomotor e os demais órgãos e sistemas solicitados durante as diferentes formas de atividade física entram em um processo de regressão funcional, caracterizando, no caso dos músculos esqueléticos, um fenômeno associado à atrofia das fibras musculares, à perda da flexibilidade articular, além do comprometimento funcional de vários órgãos.

· Falta de preparo físico para as atividades subsistências

· Cansaço físico e Mental.

· Indisposição, desânimo (preguiça).

· Dores (muitas vezes causadas pela falta de circulação de Sangue).


Malefícios que o sedentarismo pode causar

· Ser sedentário pode levar ao desenvolvimento de problemas de saúde como:

· Falta de força muscular por não estimular todos os músculos;

· Dor nas articulações devido ao excesso de peso;

· Acúmulo de gordura abdominal e no interior das artérias;

· Aumento excessivo do peso e até mesmo obesidade;

· Aumento do colesterol e triglicerídeos;

· Doenças cardiovasculares, como Infarto ou AVC;

· Aumento do risco de Diabetes tipo 2 devido à resistência a insulina;

· Roncos durante o sono e Apneia do sono porque o ar pode passar com dificuldade pelas vias aéreas.


Como deixar a Inatividade

Para deixar de fazer parte do grupo dos sedentários o indivíduo precisa gastar no mínimo 2.200 calorias por semana em atividades físicas ou 315 kcal por dia, ou seja, uma caminhada de 1 hora em média para uma pessoa com 70kg de peso corporal.

Tabela de Atividades físicas (fonte: www.copacabanarunners.net)

Para que os hábitos sedentários sejam deixados de lado, as pessoas devem ter consciência de que a atividade física deve ser introduzida na rotina de forma gradativa, afim de prevenir possíveis lesões que possam acontecer no período de adaptação.

Recomenda-se que as atividades sejam assistidas por um profissional da saúde, para que os movimentos sejam reeducados e executados de forma correta, sem que haja risco de lesionar alguma estrutura corporal.

Também vale salientar a importância do acompanhamento de um profissional em casos onde o indivíduo possa apresentar problemas crônicos, como diabetes, cardiopatia, obesidade, devido aos riscos que as mesmas ocasionam, fazendo com que o médico e o profissional que estará desenvolvendo as atividades possam traçar um perfil onde as atividades sejam direcionadas para cada caso especificamente.

Por esses e outros motivos, salienta-se que a prática de exercícios consegue melhorar a saúde e a sensação de bem-estar ao ficarem moderadamente ativas desde que seja de forma regular, assim como a atividade não necessita ser extenuante para trazer benefícios à saúde de quem iniciará com a prática.

Doenças Associadas

O sedentarismo é a principal causa do aumento da incidência de várias doenças. Hipertensão arterial, diabetes, obesidade, ansiedade, aumento do colesterol, infarto do miocárdio são alguns dos exemplos das doenças às quais o indivíduo sedentário se expõe. O sedentarismo é considerado o principal fator de risco para a morte súbita, estando na maioria das vezes associado direta ou indiretamente às causas ou ao agravamento da grande maioria das doenças.

Conheça as doenças causadas pelo sedentarismo

Não à toa, para a Organização Mundial de Saúde (OMS), o sedentarismo é considerado uma doença e seus males podem ser comparados aos do tabagismo.

Não existe relação que ligue direta e unicamente o sedentarismo às doenças, mas a falta de atividade corporal, principalmente se associada com alimentação inadequada, compromete várias funções do organismo, que facilitam o aparecimento de enfermidades como:


Obesidade

Se o organismo consegue aproveitar tudo o que você come, seu peso permanece estável. Mas se, por outro lado, há excesso no consumo ou falta de estímulos para a queima de energia, o resultado será o ganho de peso. "Cultivar uma alimentação saudável e praticar exercícios, que aceleram o metabolismo, é a receita Ideal contra a obesidade", afirmam os Endocrinologistas.


Ansiedade

Tensão constante, preocupação, medo e até falta de controle sobre as próprias ações são alguns dos sintomas dos transtornos de ansiedade. Todas essas condições são intensificadas pelo sedentarismo, pois há inibição da produção de endorfinas, neurotransmissores que proporcionam uma sensação relaxante e de bem-estar, explica o médico do esporte Ricardo Nahas, do Hospital 9 de Julho. Assim, quem pratica exercícios consegue lidar melhor com a ansiedade e até tem uma noite de sono mais tranquila e ganhando produtividade durante o dia.


Depressão
'O sedentário não tem disposição para executar as tarefas do trabalho, realizar programas de lazer e ainda se entrega mais facilmente a vícios, como o alcoolismo", afirmam médicos do esporte. Se você já tem predisposição à depressão, a ausência de atividades físicas acentua ainda mais esta tendência. Por outro lado, aderir a um treino regular pode funcionar como coadjuvante no tratamento da doença.


Diabetes

27% dos casos estão ligados com a falta de atividades físicas. Segundo endocrinologistas, o aumento da gordura localizada, principalmente na região abdominal, é um dos principais fatores que levam ao quadro de resistência à insulina. "O hormônio sintetizado no pâncreas não consegue mais agir no organismo, fazendo com que o nível de açúcar no sangue fique muito elevado", explica. A melhor forma de se prevenir contra o diabetes é aliando uma boa alimentação à prática regular de exercícios físicos.


Câncer de mama

21 a 25% das pessoas acometidas são inativas. Alguns tipos de câncer, como o de mama e o de próstata, estão diretamente associados à obesidade, uma das principais doenças decorrentes do sedentarismo. Isso porque o excesso de peso aumenta a produção de radicais livres pelo corpo, fazendo com que o organismo não dê conta de combatê-los. Isso origina pequenas inflamações que podem se tornar um câncer. Além disso, pessoas que praticam exercícios também costumam ter hábitos de vida mais saudáveis, como se alimentar de maneira equilibrada e fazer exames médicos rotineiramente.


Doenças cardiovasculares

30% dos doentes não praticam nenhum exercício. "Durante a prática de exercícios, o coração aumenta a produtividade, tornando-se capaz de suprir demandas maiores de oxigênio e nutrientes pelas células", afirma o clínico da Unifesp Paulo Olzon. O sedentário, por sua vez, não estimula o coração, ficando sujeito ao aparecimento de doenças cardiovasculares ocasionadas pelo endurecimento das artérias e pela formação de placas de gordura nos vasos sanguíneos.


Câncer de Cólon ou Crohn

21 a 25% dos casos estão relacionados com a inatividade física. A Doença de Crohn é uma doença inflamatória séria do trato gastrointestinal. O Crohn afeta predominantemente a parte inferior do intestino delgado (íleo) e intestino grosso (cólon), mas pode afetar qualquer parte do trato gastrointestinal.


Hipertensão

"Indivíduos sedentários obrigam o coração a trabalhar mais: o músculo cardíaco precisa fazer mais pressão para que o sangue consiga correr por todo o corpo, aumentando a pressão arterial", explica o cardiologista Rui Ramos, diretor da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP). Por isso, quem realiza atividades físicas não só reduz a pressão como ainda previne contra o aparecimento da doença, pois aumenta a capacidade e a resistência cardiovascular.


Osteoporose

"Os exercícios ajudam na formação de massa óssea e, por isso, previnem o desenvolvimento da osteoporose", afirma a Organização Mundial da Saúde. Segundo a OMS a atividade física também ajuda a fixar o cálcio nos ossos, o que é fundamental para evitar a doença, uma vez que ela é causada pela progressiva descalcificação.


Artrose

Doença articular que pode provocar incapacidade física. O mal se caracteriza pela perda progressiva da cartilagem das juntas.

A maior parte dessas doenças causadas pelo sedentarismo tem cura apenas quando identificada em estágios iniciais. As doenças cardiovasculares podem ser silenciosas e apenas identificadas em momentos extremos, como na ocorrência de um infarto ou de um derrame.


Trombose

O sedentarismo favorece a formação de trombos (coágulos sanguíneos) nas pernas. A prática de exercícios estimula a circulação e previne o problema de forma natural. "Se você passa muito tempo sentado, organize a rotina para se levantar e fazer breves caminhadas algumas vezes ao dia. Essa é uma maneira simples de estimular a circulação e evitar a trombose", afirmam cardiologistas. A tática torna-se ainda mais eficiente combinada à prática de exercícios físicos regulares.

Dentre esses e muitos outros fatores, vale salientar que a visita regular ao médico facilitará a indicação da atividade física mais indicada para cada indivíduo, fazendo com que o mesmo possa sentir-se beneficiado e em melhores condições de saúde a partir do início da prática. Porém, vale ressaltar que em indivíduos que utilizam medicações especificas para patologias previamente diagnosticadas, como pressão alta e diabetes, devem manter a ingesta medicamentosa conforme a indicação médica para que não haja intercorrências durante a prática das atividades.


Bibliografia:


http://www.scielosp.org/pdf/csp/v21n3/21.pdf

http://www.scielo.br/scielo.php…



Questionário


.O que é Sedentarismo?

.Quais os principais males e consequências da falta de atividade física?

.Principais doenças causadas pela Inatividade física?

.Como sair do Sedentarismo?

.O que é necessário para deixar de fazer parte do grupo dos Sedentários


Um comentário:

Prof. Fábio Barros disse...

RESOLUÇAO 2
1. O que é Sedentarismo?
Existem várias definições e conceitos sobre sedentarismo, desde o abandono cultural e histórico da vida nômade, passando pela inatividade ocupacional e o último e mais bem aceito é além da adesão da vida permanente e moderna. O sedentarismo é caracterizado pela falta de atividade física no ser humano, não somente no caráter da prática desportiva, mas em toda sua amplitude, fazendo com que a saúde da pessoa entre em declínio e esteja mais suscetível ao surgimento de patologias.
2. O que é necessário para deixar de fazer parte do grupo dos Sedentários?
Para deixar de fazer parte do grupo dos sedentários o indivíduo precisa gastar no mínimo 2.200 calorias por semana em atividades físicas ou 315 kcal por dia, ou seja, uma caminhada de 1 hora em média para uma pessoa com 70kg de peso corporal.
3. Quais os principais males e consequências da falta de atividade física?
• A vida sedentária provoca literalmente o desuso dos sistemas funcionais.
• O aparelho locomotor e os demais órgãos e sistemas solicitados durante as diferentes formas de atividade física entram em um processo de regressão funcional, caracterizando, no caso dos músculos esqueléticos, um fenômeno associado à atrofia das fibras musculares, à perda da flexibilidade articular, além do comprometimento funcional de vários órgãos.
• Falta de preparo físico para as atividades subsistências
• Cansaço físico e Mental.
• Indisposição, desânimo (preguiça).
• Dores (muitas vezes causadas pela falta de circulação de Sangue).
4. Como deixar de lado os hábitos sedentários?
• Para que os hábitos sedentários sejam deixados de lado, as pessoas devem ter consciência de que a atividade física deve ser introduzida na rotina de forma gradativa, afim de prevenir possíveis lesões que possam acontecer no período de adaptação.
• Recomenda-se que as atividades sejam assistidas por um profissional da saúde, para que os movimentos sejam reeducados e executados de forma correta, sem que haja risco de lesionar alguma estrutura corporal.
• Também vale salientar a importância do acompanhamento de um profissional em casos onde o indivíduo possa apresentar problemas crônicos, como diabetes, cardiopatia, obesidade, devido aos riscos que as mesmas ocasionam, fazendo com que o médico e o profissional que estará desenvolvendo as atividades possam traçar um perfil onde as atividades sejam direcionadas para cada caso especificamente.
5. Principais doenças causadas pela Inatividade física?
Obesidade. Ansiedade. Depressão. Diabetes: 27% dos casos estão ligados com a falta de atividades físicas. Câncer de mama: 21 a 25% das pessoas acometidas são inativas. Doenças cardiovasculares: 30% dos doentes não praticam nenhum exercício. Câncer de Cólon: 21 a 25% dos casos estão relacionados com a inatividade física. Hipertensão. Osteoporose. Artrose. Trombose.